quinta-feira

Teoria Integral (Ken Wilber) - Parte II (QUADRANTES)

Conforme dissémos no post anterior, a teoria integral é composta por várias componentes e hoje iremos começar por abordar a parte dos QUADRANTES.


UM TODO - QUATRO QUADRANTES:
De uma forma muito simples os quadrantes são os seguintes:


Ao mesmo tempo, os quadrantes são também perspectivas. Por exemplo, a religião é, ao mesmo tempo:


Analisando os quadrantes em pormenor, em termos horizontais do lado esquerdo temos tudo o que é relativo ao INTERIOR, e do lado direito tudo o que é relativo ao EXTERIOR:


Em termos verticais, em cima temos tudo o que é relativo ao INDIVIDUAL, e em baixo tudo o que é relativo ao GRUPAL/COLECTIVO:


Resumindo, temos então o seguinte esquema:



ANÁLISE POR QUADRANTE:

UL - INTERIOR INDIVIDUAL 
Diz respeito a fenómenos como:
.sensações
.impulsos
.emoções
.sentimentos
.pensamentos
.intenções
.etc.

É alvo de estudo de áreas como:
.psicanálise
.introspecção
.meditação
.fenomenologia


UR - EXTERIOR INDIVIDUAL
Diz respeito a fenómenos como:
.partículas sub-atómicas
.átomos
.moléculas
.células
.organismos
.comportamentos
.tamanho
.peso
.cor
.etc.

É alvo de estudo de áreas como:
.behaviorismo
.ciências cognitivas
.ciências químicas e biológicas
.ciência empírica


LL - INTERIOR COLECTIVO
Diz respeito a fenómenos como:
.cultura
.valores partilhados
.sentido partilhado
.crenças psicológicas e filosóficas
."worldviews"
.crenças religiosas

É alvo de estudo de áreas como:
.antropologia
.hermenêutica
.teoria crítica
.semântica
.história
.estruturalismo clássico 


LR - EXTERIOR COLECTIVO
Diz respeito a fenómenos como:
.galáxias
.planetas
.ecossistemas
.nações
.tecnologia
.infraestruturas
.grupos sociais
.grupos familiares
.comportamentos partilhados
.modos de produção
.sistemas
.estatísticas

É alvo de estudo de áreas como:
.ecologia
.sociologia
.teoria dos sistemas
.funcionalismo
.teoria da informação
.engenharia


PRINCÍPIOS E PROPRIEDADES
Então basicamente os quadrantes dizem respeito ao interior e exterior do individual e do colectivo. Assim:
- INTERIORES têm que ser SENTIDOS
- EXTERIORES têm que ser VISTOS
- INDIVÍDUOS são SINGULAR
- COLECTIVOS são PLURAL

São quatro dimensões de qualquer ocasião, fundamentais (pois não é possível uma existir sem as outras) e irredutíveis (porque tetra-emergem). Por exemplo:

Podem assim ser vistas como "lentes" ou perspectivas que podem ser usadas para ver qualquer aspecto do mundo.

Outros pensadores têm vindo a organizar estas dimensões em apenas 3, agrupando as duas dimensões EXTERIORES numa só. Alguns exemplos e comparações com a teoria de Ken Wilber:


ABSOLUTISMOS
Algo que ocorre com frequência, principalmente entre os que se consideram mais "puros" (ex. certos académicos, alguns líderes religiosos, etc.)  é quando uma pessoa/entidade toma uma perspectiva sobre o que é real num quadrante como a única verdade possível. A isso se chama um absolutismo e existem 4 tipos, um por quadrante.

UL - INTERIOR INDIVIDUAL 
IDEALISMO (relativismo subtil)
. dizer que a verdade é apenas e só criada na mente (livros como "O Segredo" ou "What the bleep" são exemplos)


UR - EXTERIOR INDIVIDUAL
ATOMISMO (reducionismo extremo)
. negar a verdade interior e aceitar apenas o visível, os factos (muitas vezes campos como a Medicina e as "ciências puras" (ex. física) são acusados deste tipo de absolutismo)


LL - INTERIOR COLECTIVO
RELATIVISMO (relativismo extremo)
. defender que os factos são apenas construções culturais


LR - EXTERIOR COLECTIVO
HOLISMO (reducionismo subtil)
. reduzir o sentido interior e defender apenas os sistemas objectivos/visíveis


APLICAÇÕES PRÁTICAS
De um modo geral podemos usar os quatro quadrantes para analisar situações e ter, assim, uma perspectiva mais completa de cada situação:
UL - ESTÉTICO: "isto é bonito?"
UR - COGNITIVO: "isto é real?"
LL - NORMATIVO: "isto é bom?"
LR - SISTÉMICO: "isto é funcional?"

Assim, se por exemplo estiver pertante uma situação/problema pode fazer o seguinte conjunto de questões para analisar melhor o que tem em mãos e as possíveis escolhas que pode fazer.

PASSO 1:
Escreva 1/2 frases sobre uma situação/problema que tem actualmente na sua vida e que gostaria de analisar/resolver.


PASSO 2:
Responder às questões abaixo, sobre cada quadrante.

UL
- quais as minhas intenções?
- como é que isso me faz sentir?
- qual o meu propósito?
- o que quero/desejo mais?

UR
- que preciso fazer?
- quanta energia tenho?
- que meios seriam úteis?
- qual a acção com maior compaixão?

LL
- como estão as minhas relações a ser afectadas?
- que valores, crenças e significados partilhados estão em jogo?
- onde existe falta de compreensão mútua?
- que culturas/sub-culturas estão envolvidas?

LR
- que comportamento conjunto é necessário activar?
- como é que as minhas acção afectam os outros?
- considerei as implicações legais, económicas, sociais, educacionais e políticas?
- que dinâmicas estruturais, organizacionais ou sistémicas estão envolvidas?


PASSO 3:
Rever a lista e o que escreveu, analisar se há coisas que faltam e definir um plano de acção com base na sua análise.

__
E pronto, ficamos por aqui hoje. Assim que possível daremos continuidade à abordagem sobre a TEORIA INTEGRAL do Ken Wilber, sendo que no próximo post analisaremos as LINHAS.

5 comentários:

Unknown disse...

Muito bom!

Aline Marques disse...

olá vasco, seu texto esta maravilhoso, amei cada linha do que li, este assunto eh muito interessante, e muito do que li me lembrou algumas coisas que ja estudei em historia. aguardo ansiosamente pelo proximo post. cordialmente,
aline marques.

Vasco Gaspar disse...

Muito obrigado!

Mafalda S. disse...

Muito interessante a temática do teu blog. Obrigada pela divulgação de obras com temas tão interessantes. Acredito firmemente que a leitura pode contribuir para um mundo melhor, ao influenciar-nos a agir/pensar de um modo mais feliz.

Mas venho aqui também, para dizer que divulgei a ferramenta ZorBuddha no meu blog (http://manualdafelicidade.blogspot.com/2012/03/sugestao-da-semana-10-use-ferramenta.html). Espero que não te importes.

Fico feliz, por saber que em Portugal há cada vez um maior número de pessoas a interessar-se pela temática da felicidade. Sei que és uma delas. Acredito que por poucas vozes que sejamos, estamos a dar um contributo positivo há nossa sociedade.

Abraço.

Vasco Gaspar disse...

Obrigado Mafalda, pelo comentário, pela partilha do ZorBuddha e por remares no mesmo sentido! ;)

Um abraço positivo!
Vasco